Monday, March 14, 2005

O futuro

Difícil, difícil é encarar o futuro quando a visibilidade é fraca! E quando o passado insiste em tomar o lugar do presente e em fazer questão de se projectar mais além!
Bem repetimos que mais vale parar, que mais vale encontrar um lugar confortável para esperar dias mais claros, mas algo (quem será? A mente, o coração?) persiste em querer desenrolar o novelo do tempo para que o passado se repita no presente. Depois sobram lágrimas e angústias até que aceitemos o inevitável. E tudo isto com a certeza de que a ferida vai sarar, talvez fique cicatriz, mas a dor vai passar. Ainda assim, o tal algo (a mente, o coração?) é, para já, mais forte e lança-nos, tal folha seca no vento outonal, num rodopio sem rumo.
Um dia, num destes momentos em que parece que a nossa vida se desfaz em poeiras e galhos sem forma nem senso, ofereceram-me um calendário. Bonito, em papel reciclado, com a frase: o tempo cura tudo. A minha vida descruzou-se dos caminhos dessa amiga, mas eu nunca esqueci aquela ajuda e ainda hoje é esse calendário (agora mental) que me ajuda a esperar que o nevoeiro se levante!

3 Flocos de neve

Blogger Laura Lara atirou uma bola de neve ...

És precária e veloz, Felicidade.
Custas a vir e, quando vens, não te demoras.
Foste tu que ensinaste aos homens que havia tempo,
e, para te medir, se inventaram as horas.

Felicidade, és coisa estranha e dolorosa.
Fizeste para sempre a vida ficar triste:
porque um dia se vê que as horas todas passam,
e um tempo, despovoado e profundo, persiste.

Cecília Meirelles

8:03 pm  
Blogger Pitucha atirou uma bola de neve ...

Muito bonito e tão verdadeiro!
Um beijo

10:30 am  
Blogger Laura Lara atirou uma bola de neve ...

Quero entrar no blog e não consigo. Será do cinzento de Bruxelas que se transformou em nevoeiro cerrado?

6:22 pm  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento