Thursday, March 24, 2005

Saudade

Requiem

Há mortos que demoram a morrer
é inútil sepultá-los e eles voltam
demoram-se por vezes numa sombra
num braço de cadeira ou no rebordo partido
de uma chávena. Ou então escondem-se
em pequenas caixas sobre as mesas.
Há objectos que ficam cheios deles
são como o rosto transmudado dos ausentes
sua marca na casa e no efémero.

Por isso custa tanto retirar o prato e o talher
arrumar os fatos defazer
a cama. Há mortos que nunca mais se vão embora.
Há mortos que não param de doer.

Manuel Alegre in "Coimbra Nunca Vista"

Um grande beijo M. E. onde quer que esteja.

2 Flocos de neve

Blogger Madalena atirou uma bola de neve ...

Pitucha, estas palavras vêm ao encontro das minhas perdas...
Um beijinho

10:32 am  
Blogger Pitucha atirou uma bola de neve ...

Eu sei Madalena. E admiro a forma como as vive (pelo menos no seu blogue).
Um beijo

11:02 am  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento