Friday, April 08, 2005

Morte

A morte do Papa esteve nas primeiras páginas dos jornais. Mas o Papa teve uma longa vida, difícil, decerto, mas balizada pela fé que escolheu e que o guiou até ao fim.
A morte do Príncipe Rainier do Mónaco esteve nas segundas páginas dos jornais. Mas o príncipe teve uma vida longa e os confortos materiais talvez tenham amenizado as dificuldades porque terá passado.
A morte de um menino de 13 anos atrás de uma bola numa movimentada rua de Bruxelas e de um bebé de oito meses por vontade de um tumor no cérebro não vieram nas páginas dos jornais. Mas obrigam-nos a parar e a pensar.
A pensar na fragilidade da vida.
A pensar na urgência de viver.