Thursday, February 07, 2008

Em silêncio

Sempre achei que as palavras tinham a flexibilidade própria da plasticina, podendo ser moldadas até ficarem com a forma e a cor que procurava a mão que as escrevia.

E tal como os escultores de pedra, há escultores da palavra que me deixam boquiaberta a olhar as Pietàs fabulosas que criam e há os que me deixam indiferente, como aquelas estátuas para jardins domésticos que, invariavelmente, jorram água de qualquer lado.

Tudo é assim uma questão de génio.

No fundo continuo a achar. Tenho que ser sincera. Sobretudo para comigo. Dizer o contrário era recusar a admitir a minha própria banalidade. Claro que a tentação é grande! Quão mais fácil é achar que a culpa, essa danada, se encontra em palavras alheias e não na minha incapacidade de moldar as palavras ao jeito que lhes quero dar!

Pois é.

O certo é que entre a falta de arte e os cuidados que me inspiram os valores que me guiam, eu não encontro as palavras certas. Quero dizer, encontro mas assim em bruto, sem os contornos que lhes quero dar, sem o brilho que penso que devam ter, sem a força que só palavras bem limadas podem ostentar.

Deixo assim a alma pendurada num silêncio que lhe imponho.

Até encontrar maneira de dar o meu sentido às minhas palavras.

10 Flocos de neve

Blogger Periférico atirou uma bola de neve ...

Há palavras que se descobrem no ruído, outras que nascem do silêncio.

Beijos

10:41 am  
Blogger Carlota atirou uma bola de neve ...

Ó Pitucha, que texto tão bonito!
Uma mocinha modesta, é o que tu me saíste! :)

10:44 am  
Blogger Melões Melodia atirou uma bola de neve ...

Muito modesta, sem duvida!
beijos

11:08 am  
Blogger Laura Lara atirou uma bola de neve ...

Digo mesmo mais: modestíssima.
Não me fica bem dizê-lo, mas digo-o.
Beijos

11:59 am  
Blogger MRP atirou uma bola de neve ...

junto-me ao coro: ora!ora! quanta modéstia.

12:33 pm  
Blogger Hélder Franco atirou uma bola de neve ...

Acho que o sentido foi encontrado. :)

12:44 pm  
Blogger Pitucha atirou uma bola de neve ...

Dear all
Obrigada.
Beijos

2:19 pm  
Blogger Madalena atirou uma bola de neve ...

Pitucha, olha que o lindómetro acendeu e não há meio de se apagar. E o lindómetro é um rigoroso instrumento de medida. É preciso saber pegar nas palavras e mostrá-las como elas são, sob vários ângulos, sob diversas perspectivas e aí está também a genialidade. As palavras para ti não têm segredos, Pitucha. Ainda bem que és minha sobrinha!!!!! Assim não morro de inveja mas de admiração!mil beijinhos

2:48 pm  
Blogger Sinapse atirou uma bola de neve ...

Pois eu cá acho, Pitucha, que tens alma de artista nessa arte das palavras!

4:42 pm  
Blogger Pitucha atirou uma bola de neve ...

Madalena
Obrigada, tia.
:-)
Beijos

Sinapse
Obrigada
Beijos

8:44 am  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento