Wednesday, March 12, 2008

Pérolas e golas de pele

Hoje sinto-me como aqueles retratos antigos em que as damas ostentavam pérolas e uma gola em pele, tinham um ar de mistério e enchiam o retrato de perguntas profundas.

Não era possível adivinhar se tinham uma vida de sorrisos ou de lágrimas. Só se sabia que havia solenidade.

Depois, talvez porque não sejamos capazes de viver sem respostas, viu-se aí elegância e discrição.

E assim ficaram os retratos antigos, sem cheiro nem vivência quotidiana, ficaram retratos de elegância e de discrição, com pérolas e golas de pele.

Mas eu não me sinto elegante nem discreta, que isto foram desvios de letras, devaneio de quem não consegue ir direita ao assunto, mentes femininas, dirão alguns, ou então pensarão apenas para evitar olhares de reprovação ou argumentos de defesa.

Sinto-me envolvida pelo ar de mistério que perpassa desses retratos e que nos faz ficar assim a olhar e a imaginar e a efabular.

Acho que deveria escrever poesia. Porque, nesses retratos, as mulheres têm sempre ar de poetisas amarguradas, de almas que procuram sem encontrar e que se encontram em espaços que não reconhecem.

Pois eu acho que elas, tal como eu, têm perguntas para as quais não encontram respostas. Têm respostas que não cabem em pergunta alguma.

Mas devo ser eu a inventar! Decerto também elas tiveram um ombro onde se podiam encostar. Talvez também a elas alguém lhes tenha dito para não se esquecerem disso.

3 Flocos de neve

Blogger calamity jane atirou uma bola de neve ...

tu ESCREVES poesia...

8:26 pm  
Blogger Mocho Falante atirou uma bola de neve ...

Delicioso este teu texto cheio de imagens em tons de sépia

adorei

beijocas

11:54 pm  
Blogger Pitucha atirou uma bola de neve ...

CJ e Mochito
Obrigada.
Beijos

8:55 am  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento