Monday, April 07, 2008

Conto a conto (5)

Todos a conheciam como a senhora da casa grande.

Não parecia nome que colasse, vendo o seu sorriso doce, o seu jeito afável, repousado e discreto.

Falava pouco, sorria apenas e assentia com um gesto da cabeça ao que se dizia.

De vez em quando, o olhar perdia-se para lá da saudade, em sombras de tristeza e nostalgia e, nesses momentos, contava histórias de outros tempos, tempos em que a casa grande vivia e gargalhava, cheia de pais e de filhos, de criados e de visitantes de passagem, em negócios, em interesses.

Lembrava-se da última festa. Que vivera em entusiasmo de não a saber última. Agora recordava-a em cores de sépia e de arco-íris: nesse passado onde tudo estava em ordem e todos estavam vivos.

Envelheceu ao contar esses contos passados.

Rejuvenesceu quando recordou o curso de direito tirado quando as mulheres se reservavam ainda a trabalhos mais domésticos, sem letras nem canetas. Nesses tempos idos em que estudara como desafio, para se provar, para marcar um lugar nessa casa grande.

Deixaram-na ir. Que ocupasse o tempo enquanto o tempo a não ocupasse a ela com choros e fraldas, com responsabilidades de camisas por passar e de jantares para orientar.

O sorriso doce era agora decidido, alongando-se em códigos e leis, considerações políticas e opções de sociedade. O passado colava-se ao presente, à sua actividade diária de clientes e de barra.

Que já não era hoje, contudo.

Porque a notícia viera imprevista, fria e directa "morreu a senhora da casa grande".

E ele sentiu falta de ouvir as palmas da senhora da casa grande a chamar a Filomena e a pedir um sumo de manga fresco para o senhor doutor, e para mim, um chá.

11 Flocos de neve

Blogger van atirou uma bola de neve ...

Já pensaste em criar um marcador (blog label) para os contos? Seria mais fácil encontrá-los... :)

6:26 pm  
Blogger Skyman atirou uma bola de neve ...

Gostei muito da consequência do aumento da alteração do ritmo a meio do conto.
A alternância da narrativa resultou também muito bem.
Próximo...
Bjo

12:27 am  
Blogger magnuspetrus atirou uma bola de neve ...

Espero que um dia ainda possa ver todos os teus "momentos" reunidos, pois merecem muito.

11:40 am  
Blogger Pitucha atirou uma bola de neve ...

Van
Não, nunca pensei nisso. (Tens blogue?)
Beijos

Skyman
Obrigada pela crítica. Para mim é importante.
Beijos

Magnuspetrus
Obrigada pelas tuas palavras, mas não imagino que tal aconteça para além destas páginas blogoesféricas.
Beijos

12:40 pm  
Blogger van atirou uma bola de neve ...

Sim! Não tive tempo de fazer o login quando deixei o comentário. :)

2:17 pm  
Blogger van atirou uma bola de neve ...

Espera! Afinal tinha feito o login! Vê o blog no perfil. :)

2:19 pm  
Blogger Pitucha atirou uma bola de neve ...

Van
Não consigo aceder. Diz que o perfil não está disponível. Queres mandar o link?
Obrigada

2:51 pm  
Blogger Laura Lara atirou uma bola de neve ...

Faz-me lembrar alguém...
beijinhos

7:59 pm  
Blogger Ana Paula atirou uma bola de neve ...

Gosto imenso de contos e os teus são muito bem escritos! :)

Sinceramente e um beijinho!

10:21 am  
Blogger rouxinol de Bernardim atirou uma bola de neve ...

Com mão de mestre! um conto em cheio!!!

4:56 pm  
Blogger van atirou uma bola de neve ...

Ah, ok Pitucha! Não é só meu, mas eu 'tou lá. :)

http://texto-al.blogspot.com

9:00 pm  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento