Tuesday, May 20, 2008

Conto a conto (8)

Quem olhasse, via apenas uma menina a correr.
Cabelo solto e um sorriso fugídio que, por vezes, parecia feliz.

Se lhe perguntassem, dizia que andava à procura de uma borboleta, a mais bela de todas, a mais colorida, com asas rendilhadas que esvoaçavam em passos de ballet.

Viram-na? Ela perguntava, insistia, viram-na?

Tem as cores do arco-íris, a suavidade do algodão, a elegância de um fim de tarde na montanha.
Tem a ternura de um ombro amado e a delicadeza da esperança renovada.

Viram-na?

Se, por acaso, encontrarem a menina, não lhe respondam. Não lhe digam que, por mais bela que seja uma borboleta, nenhuma há que corresponda a tal descrição.

Deixem-na continuar à procura.

4 Flocos de neve

Blogger Carlota atirou uma bola de neve ...

OK, nem uma palavra!
:)

10:20 am  
Blogger Madalena atirou uma bola de neve ...

Prolongar o desejo e a procura é capaz de ser um segredo para ser feliz... Muitos beijinhos e bom sol para os voos da borboleta da menina que escreveste!

9:03 pm  
Blogger Mcm atirou uma bola de neve ...

Inocência e ilusão são coisas que andam juntas. Regra geral não chegam á idade adulta, mas enquanto duram são boas. E depois fica a recordação desses tempos ...

10:09 pm  
Blogger MRP atirou uma bola de neve ...

ah é! e como é que tu sabes que nao há? essa tal da borboleta, hein! por acaso conheces as borboletas todas? olha que esta!

malvada descrença....

11:13 am  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento