Thursday, May 15, 2008

Por acaso tenho pena

Terei pena se a Feira do Livro não se realizar.
Não obstante não ter programado lá ir este ano, a Feira do Livro é, para mim, o subir e descer do Parque Eduardo VII, o descobrir os livros do dia, o deleite dos pavilhões dos alfarrabistas, a ilusão dos preços baixos que justifica todas as compras.
Também é ver os escritores em carne e osso, humanizar essas criaturas de que conhecemos o nome e o génio.
Também é olhar em volta e sentir que estamos integrados num mundo de gente que gosta de livros.
Também é levar as crianças e desejar que os "nossos" livros da Verbo infantil sejam, um dia, os livros deles.
É olhar para o céu e desejar que não chova.
É sentir a Feira de tarde e de noite, gozando o clima lisboeta de Primavera instalada.
Se me obrigarem a pensar, sem ser com a cabeça repleta de reminiscências do passado, sou capaz de ver o primitivismo dos barracões, o amadorismo dos contactos com os escritores, a iluminação deficiente.
Mas longe, nesta Bruxelas outra vez cinzenta, eu quero apenas sentir a minha Feira do Livro.

3 Flocos de neve

Blogger anamoris atirou uma bola de neve ...

É assim, nós temos este penar. Quando existe alguma coisa neste País que é puramente boa, arranja-se logo maneira de acabar com ela.
Enfim... Também estamos completamente cinzentos.
Beijos

11:32 am  
Blogger Carlota atirou uma bola de neve ...

Deixa lá! Eles hão-de com certeza chegar a acordo e a feira vai realizar-se.

1:01 pm  
Blogger Leonor Barros atirou uma bola de neve ...

Uma tristeza é o que é... Este ano não tenciono pôr lá os pés :(

12:05 am  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento