Thursday, July 31, 2008

Excesso

Não gosto de excessos.
Prefiro a discrição.
(Entusiasmos são outra coisa, são exageros de expressão, de sentimentos, que podem acelerar a voz, intensificar os gestos, aumentar o brilho nos olhos).
Mas excessos não!
Nem por escrito.
Que coisa enervante as pessoas que escrevem ENERVANTE! E que depois, para distinguir os graus, acentuam a coisa: ENERVANTE! E inclinam-na para que se percebam que há diferentes tons de emoção: ENERVANTE! De súbito um já não chega. Há que perceber que tudo é ENERVANTE!!!!!!!, até mesmo ENERVANTE!!!!!!! Para não falar do toque dimensional; porque há ENERVANTE e ENERVANTE. Até mesmo ENERVANTE!!!!!!!!
E porque será que para o enervamento apenas o vermelho conta: Enervante!
E o compassado? Para que se perceba bem o sincopado da respiração: E-n-e-r-v-a-n-t-e! Antes E-N-E-R-V-A-N-T-E! se a coisa for séria! Quiçá E-N-E-R-V-A-N-T-E!
Que coisa mais enervante de ler.
Não, não gosto de excessos.

5 Flocos de neve

Blogger Madalena atirou uma bola de neve ...

Pitucha querida, vou já tomar um Xanax!!!! Até o Lindómetro tremeu!
Guardemos os nervos na gaveta que o Agosto está à porta. O Sol espera por ti e olha que eu ouvi dizer que ele também não gosta de excessos. O Sol está do teu lado, pois! Mil beijinhosssssssssssssssssssssss

10:09 am  
Blogger Carlota atirou uma bola de neve ...

Tens de ter C-A-L-M-A!
Já faltou mais para ires de férias.

11:17 am  
Blogger Músico Guerreiro aka Melões atirou uma bola de neve ...

Bolas, que com este post e que me deixas NERVOSO!!!
Ha que dize-lo: que post E-N-E-R-V-A-N-T-E!!!!!!!!!!
beijos

2:50 pm  
Blogger MRP atirou uma bola de neve ...

assim, de um assentada, os que "apelidam de incultos aqueles que não pertencem à tribo e que, ao fazê-lo, dão erros de português" e os enervantes....

estamo-nos a tornar um bocadito intolerantes, não!?

3:28 pm  
Blogger Sinapse atirou uma bola de neve ...

Mas quem é que te E-N-E-R-V-O-U assim?!? diz-me, tu diz-me, que eu vou lá e E-N-E-R-V-O tudo à minha frente!

4:34 pm  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento