Tuesday, July 08, 2008

Quem sou?

Nasci em Lisboa.
Cresci nos Olivais.
Amadureci no Luxemburgo.
Vou andando por Bruxelas.

Qual é a minha identidade perguntas? Porque dou tanto peso a sítios que só turisticamente cruzei?

Tento responder-te.

A minha cidade é Lisboa, feita de sol e sal. Feita das escolas por onde andei, das pessoas que conheci, dos sítios que descobri. Feita também das histórias que não vivi e que me habituei a conhecer por filmes e livros. De tal modo que as sinto minhas.

E nessa cidade fui envolvida em histórias da minha família, em palavras dos avós, em fotos vistas e revistas, tantas vezes recordadas que é como se lá estivesse estado. Chegaram-me sons outros, gostos diversos, palavras distintas e muitos sonhos. Que alimentei puerilmente primeiro, deliberadamente depois, crescendo em conhecimento e em consciência de que a minha identidade era também essa Lisboa "capital do Império" como me ensinaram na escola.

Parte de mim estava onde eu nunca houvera estado. Num sítio quente e invertido, onde era Verão quando a minha cidade tiritava de frio. Onde os horizontes se alargavam para realidades impossíveis na minha curta visão lisboeta. Esse sítio de onde me chegaram estatuetas e livros, móveis e panos coloridos, pulseiras e missangas.

Alimentei ilusões, decerto. E preparei o caminho para as pôr à prova.

Fui.

Confrontei os meus sonhos com uma realidade que todos diziam dura. Inesperadamente esses sonhos chocaram com um longo abraço quente de imagens que se conhecem, se reconhecem, não obstante nunca se terem visto. De lugares que se identificam ainda que nunca por lá tivesse passado. De cheiros que se sabem nossos mesmo que nunca os tivesse cheirado.

Reconheci os passos da minha família como se fossem meus. Intitulei minhas essas vivências.

Impostora serei.

Por ter ido buscar raízes às minhas raízes matriarcais, por as ter colado com as minhas próprias raízes lisboetas. Colei ao meu modo europeu de ser esse jeito africano de querer ser. Que sei que nunca serei.

Assim sou.

7 Flocos de neve

Blogger Carlota atirou uma bola de neve ...

Curiosidade satisfeita, suponho.

11:02 am  
Blogger Claudette Guevara atirou uma bola de neve ...

Uma mulher do mundo!

6:07 pm  
Blogger Carraça atirou uma bola de neve ...

As nossas origens, não há como fugir!!
Bjs e gostei mt deste post!

12:07 am  
Blogger Maria atirou uma bola de neve ...

Uma cidadã do mundo!

12:37 am  
Blogger magnuspetrus atirou uma bola de neve ...

A maneira como dás tanta importância aos locais visitados apenas turisticamente, só reflecte a forma como encaras os locais e as vivências das pessoas.
Turismo de qualidade, diria.

3:22 pm  
Blogger LB atirou uma bola de neve ...

Que dizer? Fico sempre sem palavras quando me deparo com um texto assim tão belo!
Quem és? Penso que dificilmente poderias ter respondido melhor.

Beijinho

4:18 pm  
Blogger Madalena atirou uma bola de neve ...

Belas palavras. Belo o teu pensamento. Belos os teus sentimentos distribuídos pelos lugares que são teus, porque a eles te entregaste e eles a ti se entregaram. Lindo! Beijinho grande e nostálgico deste mundo todo que te diz a ti e a mim...

8:53 pm  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento