Monday, August 04, 2008

Perspectiva

A neblina alongava-se pelos montes, fina tela rosada espalhando a cor sépia pela paisagem.

Não sei onde fui buscar esta imagem. Sonho talvez, não obstante sonhar pouco, ou pouco me recordar do mundo onírico.

Poderá ser de um filme, desses que quase não deixa rasto na memória depois de ter cumprido a sua função de nos distrair por uns instantes.

Sei apenas que havia essa neblina rosa, que abafava os sons e dissolvia as cores.

Como se dissolvesse o mundo!

E percebi que era o meu. Era o meu mundo que assim se esfumava, liquefazendo os meus desejos, rasgando, lentamente, os meus propósitos.

Tentei lutar. Disso me convenci pelo menos.

Mas, depois, disseram-me que não, que me sentei olhando essa imagem e que a neblina, se a houve, estaria no meu olhar.