Sunday, September 21, 2008

De repente a noite ouve-se

O silêncio e a reflexão são interrompidos por foguetes.
Ignoro o que se festeja e sempre me pergunto porque se festeja com ruído, como se a alegria silenciosa fosse menos alegre que a barulhentamente festejada.
Além de que acho despropositado que na noite serena estalem foguetes, assim se interrompendo a minha calma neste acordado sonolento em que me encontro.
Desrespeitado que foi este meu momento a sós comigo, vou deitar-me ainda a pensar que os foguetes nāo querem saber se eu me desconheço nem me deixam serenidade para medir os limites desse meu desconhecimento.
Talvez seja melhor assim.

2 Flocos de neve

Blogger Mcm atirou uma bola de neve ...

Pitucha:
Nem de propósito. Por cá é S. Mateus e os foguetes sucedem-se!
Mas, pronto, festa é festa e os foguetes fazem parte!
ex- MCM

9:36 pm  
Blogger Mocho Falante atirou uma bola de neve ...

Pois por cá os foguestes não dão tréguas desde Julho onde as Romarias insistem em manter-se até ao final do Verão....

é a doideira

beijocas

1:20 pm  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento