Thursday, October 09, 2008

Como o tempo passa

Foi há dez anos que Saramago ganhou o Nobel.
10 anos recordou ontem o telejornal que vi/ouvi enquanto jantava.
Pensei, tanto?
De facto, continuei a pensar, tanto aconteceu na minha vida em 10 anos e tudo me parece ontem, hoje mesmo, tão presente que sinto ainda o cheiro e a côr.
Exagero, claro! 10 anos são 10 anos e o ter mudado de país, de casa, de trabalho, não lhe altera a dimensão. Só lhe muda o conteúdo.
Portanto, há 10 anos, a minha natural incredulidade nas vitórias lusas foi abalada por um prémio que inesperei e, para ser franca, nem desejei.
Não que não goste de Saramago.
Gosto e sabem-no aqueles que contam e que tantas vezes se admiram com tal gosto.
Apenas porque a filosofia do Nobel, que exige que o laureado seja ente vivo, impunha urgência no reconhecimento de outro escritor de língua lusa ainda que do lado de lá do Oceano.
Ontem, quando as memórias recordavam vitórias nacionais, recordei de novo Jorge Amado e lamentei o prémio nunca alcançado e muito merecido.

3 Flocos de neve

Blogger Carlota atirou uma bola de neve ...

É a prova de que dez anos parecem muito tempo mas não deram tempo para tudo...

10:50 am  
Blogger Barão da Tróia II atirou uma bola de neve ...

Só li 2 livros de Le Clézio, "La Guerre" e " Étoile Errante" ambos no original, nem sabia que existia em português mas parece que sim. Pois 10 anos, caramba tou mesmo m,arreta. Bom fim de semana

12:32 pm  
Blogger Carlos Malmoro atirou uma bola de neve ...

Nessa altura tinha dois favoritos: o que ganhou e essa imensidão chamada Sophia. Não sei porquê mas acho que num país de poetas o prémio faria mais sentido com ela.

Beijocas

12:05 am  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento