Tuesday, November 04, 2008

Sem links

Madruguei, mais do que habitualmente, vim até à blogoesfera, como habitualmente, à laia de café da manhã, para acordar de vez, para aquecer.
Na volta que faço habitualmente espantei-me, entristeci-me, enojei-me.
Ainda bem que tal não acontece habitualmente: já teria desistido deste mundo virtual onde o anonimato permite a manifestação livre de seres asquerosos, que nada merecem.
Sem links, porque os factos são irrelevantes, soube por blogonotícia da morte repentina de jovem de 22 anos, de pais conhecidos.
Arrepiei-me.
(Porque estas coisas me enchem sempre a cabeça de porquês).
E fui lendo coisas daqui para ali como é próprio deste blogomundo e aterrei em blogoimundo que se alegrava com tal morte.
Não sei se as letras eram de inveja, se as palavras de maldade, mas o texto era nojento. Só pode ser viscoso o ente que assim pensa e que assim escreve.
Fiquei a balançar entre a pena da primeira informação e o absurdo desejo de que algo de mau pique o coração desses seres disformes que vivem do mal que sentem e que fazem.
E agora, porque o mundo parece ser assim, vou voltar para este meu espaço, real, onde conheço as pessoas e de onde afasto aquelas que não me agradam.
Com uma oração por esse jovem que não terá mais voltas na vida para lidar com energúmenos.

3 Flocos de neve

Blogger anamoris atirou uma bola de neve ...

Bom dia Pitucha
Também não simpatizo especialmente com a mãe e o pai do rapaz, mas ontem quando soube tive aquele nó na garganta de angústia. Deve ser devastador pais perderem filhos.
Tudo o resto que falas é simplesmente imoral.
Beijos

10:52 am  
Blogger Pitucha atirou uma bola de neve ...

Anamoris
Tens razão: é imoral.
Beijos

10:56 am  
Blogger marilia atirou uma bola de neve ...

Tem horas que acho que a humanidade é inviável.

Mas tem horas que não,por exemplo quando, ao acordar, encontro no blogmundo alguém que se levanta contra uma injustiça...

Abração

12:30 pm  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento