Wednesday, December 03, 2008

Espanto

Decididamente, vou deixar de me espantar com o facto de me espantar. Vou mesmo esperar que tudo aconteça porque, assim como assim, tudo acontece desde que seja possível e imaginável e todos sabemos que tudo, mesmo tudo, é imaginável e logo possível.
Aliás, o poeta confirma que o sonho comanda a vida e nestas coisas não há que duvidar, nem convém, porque todos gostamos de sonhar e ainda mais de sonhos tornados realidade.
Passarei portanto a olhar a vida, os seus episódios e momentos, as suas acções e reacções com um espírito aberto, tudo é possível, tudo é provável, sem pestanejar nem me agitar.
A respiração continuará calma, os ombros não se encolherão e o cérebro nada registará de anormal.
Isto acontecerá assim que acabar de escrever este post!
Prometo!
Mas agora deixem-me só contar que, além dos biciclistas que não respeitam o código da estrada, que andam por aí como se fossem imortais sem luz nem capacete, no outro dia cruzei-me com uma que, ademais disto tudo, ainda ía a falar ao telefone...
Pronto.
A partir de agora deixarei de me espantar.

1 Flocos de neve

Blogger Carlota atirou uma bola de neve ...

Que pena não ter passado por um polícia atento!
(Já agora, como é que eles aguentam andar de bicicleta com o frio que está?... São imunes ao frio?... Mas porque é que não chove com mais frequência nesta terra?)
:)

10:34 am  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento