Monday, December 22, 2008

Reflexo

Fez o gesto de puxar a franja para o lado ao ver o seu reflexo na bola de Natal.
Só depois se admirou com o tamanho da bola, enorme, com um dourado muito brilhante.
Viu, reflectidas, as pessoas que passavam atrás de si, apressadas, sem tempo para um olhar, sem pausa para um espanto, como se estivessem habituadas aos festejos de Natal e a bolas douradas gigantes.
Procurou nas mãos sacos de papel com fitas e laços a sair por fora. Seria esse o motivo da pressa, a compra de mais uma prenda ainda não decidida. Mas as mãos não tinham poesia, eram mãos do dia a dia, umas nos bolsos, outras a segurarem carteiras e sacos do supermercado.
Concentrou-se, de novo, na franja que teimava em cair.
Puxou-a para trás, com cuidado até os seus olhos se prenderem no olhar daquela criança que se espantava com o brilho da bolha, talvez com o tamanho.
Ou talvez com as suas mãos vazias de prendas e ocupadas a arranjar franjas.

1 Flocos de neve

Blogger Ana Paula atirou uma bola de neve ...

Um texto natalício muito, muito bonito! :)

5:53 pm  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento