Wednesday, February 04, 2009

Conto a conto (17)

Era uma menina bem pequenina.
Dessas que nos obriga a olhar sem sabermos se o fazemos por admiração ou por arrepio.
Saltamos dos braços finíssimos para a cintura quase anelar, do pescoço esguio para as pernas frágeis.
Olhamos para a pele muito branca e para os olhos tristes.
Tristes e grandes.
Acho que as meninas pequeninas têm sempre olhos tristes e grandes.
E esses olhos deslizavam pela neve que cobria o jardim à procura de qualquer coisa que não encontravam.
Eu olhava também, assim discretamente.
Estava curiosa admito.
Não que seja muito curiosa.
Mas o que procuraria a menina no manto branco onde não havia nada?
Ela levantou-se e levitou pelo jardim.
Espantados?
Ou acham que é mera liberdade poética?
Eu insisto, ela levitou.
E foi ficando mais pequena.
E mais ainda.
Delicadamente, transformou-se em cristal e adormeceu no manto de neve.

4 Flocos de neve

Blogger TeKanelas atirou uma bola de neve ...

Eu aposto como a menina era uma gotinha de água.
;-)
Beijos

6:56 pm  
Blogger Pitucha atirou uma bola de neve ...

Teresa
Se calhar era!
Beijos

9:09 pm  
Blogger calamity jane atirou uma bola de neve ...

Só me ocorre esta palavra: dulcíssima... :-)

12:07 am  
Blogger Pitucha atirou uma bola de neve ...

Calamity
Se o dizes.
Beijos

8:44 am  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento