Wednesday, May 06, 2009

Conto a conto (22)

Há momentos em que anda escondido.
Sai pouco.
É discreto.
Passeia encolhido pelas ruas, entra com medo nos cafés, espreitando primeiro, conferindo de novo a rua antes de entrar.
Por vezes sinto que apressa o passo, ou que atravessa a rua de forma precipitada.
Por mais que observe, não entendo de que foge, quem evita.
Mas, seguindo-o, dou comigo a fazer os mesmos gestos, a ter as mesmas precauções, a contornar as mesmas esquinas de jeito esquivo.
E imagino que há outro narrador que esteja, agora mesmo, a contar a história de duas pessoas que andam escondidas...

1 Flocos de neve

Blogger Skyman atirou uma bola de neve ...

Mais um excelente exercício.
Bjo

12:05 pm  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento