Wednesday, July 29, 2009

Soirée

Muita conversa, como as cerejas, indo e vindo, de palavra a palavra, ao ritmo das lembranças e da imaginação, excelente comida, regalo para os olhos, guloso paladar (ainda sinto o côco), bom vinho.
Troca de experiências em forma de sentimento, de ternura.
Fiquei só a observar e a tentar sentir, também eu, apesar de nunca ter tido um cão.
Ainda agora penso nessa amizade absoluta e incondicional de que falavas, a dos cães pelos donos, impossível entre humanos, dizias.
Talvez tenhas razão.
Mas fiquei com pena.
Sou teatral, gosto da ideia de amizades absolutas e incondicionais.

2 Flocos de neve

Blogger Madalena atirou uma bola de neve ...

olá Pitucha! Tenho de pedir asilo político a computador estrangeiro para chegar até ti. A ti e a outros blogs.Não sei o que se passa com o mundo dos blogs... Ou então o meu "brinquedo" é loiro e burro. Acho esta explicação muito plausível, sabes?
Gosto de tudo o que li e muitíssimo do teu conto reco-reco. Realmente na infância a noite não conta.
Apagaste-te do facebook? Eu não sei quanto tempo lá vou andar. Ali e no twitter...lol beijinhosssssssss

11:28 am  
Blogger Pitucha atirou uma bola de neve ...

Querida Madalena

É sempre muito bom ler-te por aqui.
(Foi, apaguei-me do Facebook mas vou resistindo no Twitter).
Beijos

11:35 am  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento