Thursday, July 02, 2009

Tempo

O sol persiste. O calor também.
Não me queixo (porque o faria?) mas já me sinto rodeada de um cansaço mudo feito de suor e roupas de praia (nunca entenderei as roupas de praia na cidade).
Interrogo-me sobre a volatilidade dos desejos (de Inverno suspiram pelo Verão, reclamam quando ele não vem e agora, que ele aí está no seu esplendor de extremos, abanam-se e queixam-se), sobre a permanência dos empenhamentos.
Degustando, portuguesmente, a bica pela manhã, cruzei-me, de novo, com Miguel Portas. Que vem para mais uma jornada de quatro anos, depois de outra de quatro. Uma permanência mais longa, abençoada, hoje, pelo raro sol bruxelense.
Eu sei quem ele é; ele não sabe, nem saberá, quem eu sou.
Mas, tal como disse antes, o "bom-dia" em português foi o elo em que nos reconhecemos.

1 Flocos de neve

Blogger Carlota atirou uma bola de neve ...

A mim nunca ouviste suspirar pelo Verão!
:)

6:18 pm  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento