Friday, October 16, 2009

Sexta pela graça de Deus

Ando silenciosa de letras.
Por aqui.
Numa busca, inglória, de as falar sem me falar.
Numa tentativa de dizer o cinzento sem que notem ou sintam que ele me pesa.
Concluo que esse gosto não tenho. Nem a arte.
Escrevo-me quando escrevo.
Quase sem querer.
Mesmo sem querer.
No fundo é um striptease. Cada letra, cada palavra leva um pouco de mim, desvenda mais um bocado, peça a peça como num puzzle.
Não adianta tapar aqui, puxar dali…tudo vai ficando exposto.
Sei que não é bom.
Por isso tento escrever sem me descrever e fico como caneta sem tinta.
Silenciosa de letras.