Thursday, October 29, 2009

Colónia

O dia estava cinzento, chuvoso.
Próprio da estação.
Ainda assim a catedral de Colónia erguia-se imponente, indiferente ao clima e aos turistas.
Fico sempre impressionada quando imagino a construção destas obras de arte que são, para mim, um dasafio às leis da gravidade e uma prova da paciência dos mestres que as esculpiram.
E como sou dada a adjectivos para assim colorir os meus relatos tendo para a hiperbole.
Dado que ja tinha usado "fantástica" para outra coisa dei por mim a descrever a catedral de Colónia como "divinal".
O que é.
Em mais do que um sentido do termo.

Friday, October 23, 2009

Sexta, pela graça de Deus

No fundo dançavam notas musicais de mornas e coladeras.
Não lhes prestava atenção mas sentia-se confortável por sabê-las aí.
Senti-as como pontinhos de calor neste Outubro outonal.
Como as castanhas assadas.
Se fechasse os olhos sentiria o cheiro do Sal, essa mistura de mar e de deserto embrulhado pelo vento em música e solidão.
Mas agora estava distraído e não procurou outros sabores.

Engoliu, sem gosto, o café. Por hábito. Para ocupar o tempo enquanto esperava que ele passasse.

Esperava que o tempo, passando, o ajudasse a escolher.

E com isto se surpreendeu. Nunca fora seu feitio deixar que o ajudassem a optar, muito menos o tempo com a sua mera passagem.

Sinta-se amolecer, desinteressado. Qualquer coisa, tanto lhe fazia, o tempo que decidisse…

Agora sim, fechou os olhos e sentiu o cheiro do Sal.

Teve saudades.

Thursday, October 22, 2009

Discurso

Gosto da palavra.
(Afinal sempre foi no verbo que se começou).
Tenho por isso admiração por quem fala bem.
Adoro sentir-me presa a um discurso, a uma précita, a uma oração.
Fascinam-me os raciocínios bem articulados, os conteúdos bem ponderados, as conclusões lógicas.

Admito que também admiro aqueles que falam sem dizer nada.
A palavra pela palavra.
O discurso pelo discurso.
O vazio cheio de coisa nenhuma.

Wednesday, October 21, 2009

Palavras do outro

Só se preocupa com Saramago quem se quer preocupar com Saramago.
Quem, para além do escritor, procura a pessoa.
Mas o leitor, esse, só procura as páginas do livro.
Só com ele se preocupa.
Concordando ou discordando, é o livro o seu sujeito.
O sujeito que se esconde atrás do escritor que se esconde atrás do livro só preocupa quem o procura.
A mim basta-me o livro.
E o escritor só e enquanto é o autor do livro.
O outro, Saramago ou não, é irrelevante.
O que ele diz também.

Tuesday, October 20, 2009

Natal

As coincidências não se explicam.
Aceitam-se.
Ou não.
Mas naquela manhã de Outubro, cheia ainda do sopro gélido da noite, os 5°C que o termómetro da praça indicava e a canção de Natal que o MP3 debitava, inopidamente, nos seus ouvidos, pareceram-lhe lógicos.

Friday, October 16, 2009

Sexta pela graça de Deus

Ando silenciosa de letras.
Por aqui.
Numa busca, inglória, de as falar sem me falar.
Numa tentativa de dizer o cinzento sem que notem ou sintam que ele me pesa.
Concluo que esse gosto não tenho. Nem a arte.
Escrevo-me quando escrevo.
Quase sem querer.
Mesmo sem querer.
No fundo é um striptease. Cada letra, cada palavra leva um pouco de mim, desvenda mais um bocado, peça a peça como num puzzle.
Não adianta tapar aqui, puxar dali…tudo vai ficando exposto.
Sei que não é bom.
Por isso tento escrever sem me descrever e fico como caneta sem tinta.
Silenciosa de letras.

Tuesday, October 13, 2009

Vida

O sol que se faz frio apela ao recolhimento.
Que também é necessário sobretudo nesta sociedade de palvras pequenas e vãs, facilmente processadas.
Dizem-me que não há tempo para longas dissertações. Nem sequer para pensar.
Impõe-se o modo Twitter, frases curtas, mensagens ralas.
Talvez no Verão isto faça sentido, quando o corpo puxa ao descanso e os olhos se adormecem ao som das ondas na praia.
Mas agora, quando a noite começa a impôr-se ao dia e a alma pede chá para aquecer, acho que a meditação faz sentido. E os longos livros. E as conversas profundas. Que se espraiam, lentas, pelo serão.
Hoje vou a uma conferência.
Depois vos direi da sabedoria da vida.

Brasileiros

Essa história do vídeo da Maité Proença sobre Portugal faz-me lembrar uns turistas brasileiros que um dia encontrei no Castelo de S. Jorge e que me perguntaram, com ar seguro e animado "isso aí, do outro lado do rio, é Espanha, né mesmo?"

Monday, October 12, 2009

TV

Acabaram as eleições.
Por uns instantes pensei que iria ser possível tornar a ver a televisão portuguesa.
Depois lembrei-me do futebol...

Friday, October 09, 2009

Sexta pela graça de Deus

Pelo menos sei quem é o prémio Nobel da Paz.

Reencontros

Vinte anos depois, seremos as mesmas pessoas, só que 20 anos mais velhas?

Thursday, October 08, 2009

À espera...

Estou à espera do Nobel da literatura...

P.S. E pronto, foi anunciado: mais uma autora que nunca li! (O Nobel da Literatura deprime-me...)

Tuesday, October 06, 2009

Ausência

Nem é só o tempo que me falta. A vontade também. A vontade de me arrancar às histórias que me contam para vir para aqui contar outras histórias.

Friday, October 02, 2009

Sexta pela graça de Deus

Acordei com saudades de castanhas assadas.
Acho que é a minha forma de aceitar o Outono.