Tuesday, January 19, 2010

Livro dos livros

O tempo passa e nem dá tempo a que eu passe por aqui.
É que entretanto, e para compensar do tamanho extra large do 2666, pequei no pequenino "Espiões" de Luis Fernando Veríssimo.
Que li de uma assentada, com um sorriso nos lábios e que guardei sem mais pensamentos.
Porque é daqueles livros giros, policial ligeiro num jeito bem brasileiro de apresentar as coisas, daqueles livros que acompanham o som da chuva que bate nas janelas e pronto. Nada mais.
Como estou em fase de clássicos, que isto mais vale tarde do que nunca, entrei de cabeça no "Le Comte de Monte-Cristo", de Alexandre Dumas e por lá ando, fascinada e presa, entre injustiças e vinganças. Em cada dia anseio pelo momento de poder, finalmente, esticar-me no sofá na companhia do distinto conde.
Leio com um prazer absolutamente adolescente.