Tuesday, June 15, 2010

Não é fácil...

Como é complicado perceber os belgas!
Pensei que o problema, o nó da questão, fosse a separação ou não. Aí estão as bandeiras belgas a esvoaçar nas janelas e varandas, provando, incentivando, a unidade belga.
Vieram as eleições (com o voto obrigatório, sob pena de multa e até de ser riscado das listas eleitorais se a falta for repetida várias vezes...delicioso) e quem ganhou? Do lado francófono os socialistas de Di Rupo. Do lado flamengo os separatistas de De Wever (que, afinal, não são separatistas...parece!).
Sim, mas quem ganhou as eleições? Então, já disse, do lado franc... sim, mas a nível nacional, quem ganhou?
Juro que olharam para mim como se fosse ET. A nível nacional? Mas as eleições não são a nível federal.
Digiro. Com dificuldade. A separação já existe. O demais são serpentinas e papelinhos para fazer a festa. E vuvuzelas se os "diables rouges" tivessem sido apurados (sempre é a equipa da Bélgica).
E quem vai o rei (dos belgas, que não da Bélgica) nomear primeiro-ministro?
(Sinto que estou a usar palavras sem sentido: rei, nomear).
Olham-me resignados: é preciso nascer belga para se perceber a Bélgica.
O rei vai nomear um "formateur" cuja missão será encontrar um compromisso entre todos os partidos permitindo um governo maioritário.
E como escolhe o rei o "formateur"? Como ele quiser (afinal é rei, não?). Uma pessoa de confiança (de confiança de quem? que mau feitio o meu!).

Eu não quereria ser rei dum reino destes. E até estou a pensar declarar a independência de Bruxelas resolvendo assim um dos pomos da discórdia: cada uma das duas partes quer Bruxelas, pois não ficará de nenhuma.


Ainda ouvi dizer que antes do "formateur" o rei pode nomear um "informateur"...mas o meu cérebro já tinha desligado nesta altura. Vou respirar um pouco e já volto para perceber.

1 Flocos de neve

Blogger JoaoLuc atirou uma bola de neve ...

O pior de tudo isso é a normalidade da xenofobia latente de parte-a-parte, como se a miscigenação (política, cultural, linguística, sexual, etc...) fosse algo de intolerável ou mesmo impossível.

De resto este país parece fechado numa esquizofrenia por todos desejada.

10:52 am  

Post a Comment

<< De volta ao cinzento