Tuesday, December 14, 2010

Festa de Natal

Por mais que tente, e tento, não consigo libertar-me da hipocrisia da coisa: todos sorridentes e unidos, esfomeados dos pratos multiculturais, esforçando-se por separar o inseparável, o grego do cipriota, o alemão do austríaco, o dinamarquês do sueco, entre sinais de politicamente correcto (este prato contém porco!) e o cantinho dos vegetarianos. Felizmente que os pastéis de nata são nossos e só nossos, sem tentações de iberismos...
E a música, sempre a mesma e sempre eterna, sem querer saber de Uniões Europeias para nada.
Este ano parece que éramos muitos (sempre demais!) e optaram pelo labirinto: salgados numa sala, sobremesas notra, bebidas numa terceira e o café numa quarta. No hall, onde desembocam todos os corredores, o umbigo com um microfone. É Natal mas nem assim se calam.
Fugi pelos corredores.
Levei um pastel de nata comigo.
Claro.