Friday, April 30, 2010

Sexta, pela graça de Deus

"Nunca fui (nem quero ir!) a um estádio, a uma tourada… detesto multidões; abomino confusões e balbúrdias; sinto-me mal com a barulheira (nos casamentos, quando chega a parte do baile, se a música é muito alta, raspo-me)… então, porque carga de água é que me inscrevi na missa de dia 11 de Maio?!?!?!?!!?!!? Sim, porquê? Sobretudo se consideramos que a missa é exactamente igual à que o Pe. António, aqui a 100 metros de casa, celebra todos os dias, e que, na televisão a dita “missa de dia 11 de Maio” se verá muito melhor do que no chão duro e muito povoado do Terreiro do Paço?
É um mistério!
Um mistério que a custo explico com o desejo de corresponder a um homem com 83 anos que me vem visitar;
Que – tudo indica – ainda gosta menos de multidões e confusões que eu, e vem;
Que nem sabe que eu existo, e vem;
Que o mundo inteiro insulta e ataca – preparando-se para desfraldar bandeiras negras e distribuir preservativos no Terreiro do Paço -, e vem;
Que podia estar sossegado em Roma ou na Alemanha, e, em nome de Cristo, anda a confirmar os seus irmãos na fé.
Dia 11 de Maio, confirmar-me-á a mim."


Recebi esta mensagem por e-mail.
No dia 11 de Maio estarei a 2000 km de distância do Terreiro do Paço.
Mas, ainda assim, estarei lá.

Thursday, April 29, 2010

Pastéis de Belém

A vida que é vida vai para além da poltica e da economia.
Passa também por um sms enviado para a mãe a elogiar os pastéis de Belém.
Disse-me ela ontem, espanhola cheia de salero, que o filho, em visita a Lisboa, descobrira os pastéis de Belém.
Boas notícias para além da crise que espalha o meu país por essa Europa fora.

Wednesday, April 28, 2010

Esquisito

Andamos com um tempo estranho para estas paragens bruxelenses. É que não chove. Nada.
Estamos em modo de Primavera instalada, com flores no jardim e sol nas varandas, sem excessos de calor.
Uma calma climatérica enquanto se aguarda pelo desfecho da Bélgica: ser ou não ser é a questão.
Enquanto o rei se preocupa com o reino que lhe há-de restar, as tulipas florescem e nós vamos ficando habituados a isto.
Habituados e preocupados.
Será este o verão a que temos direito?
Logo vos direi lá mais para os idos de Julho.

Tuesday, April 27, 2010

Angústia

Depois de uma fase bulímica de compra de livros, entrei na fase da angústia de não ter tempo para os ler.
E as horas que não esticam...

Monday, April 26, 2010

Não percebo

Como é que os ebooks são mais caros do que os livros em papel!

Música

O meu vizinho de baixo gosta demais de partilhar a música com os restantes moradores do prédio.
Acontece que eu prefiro o silêncio.
Aceito uma música clássica.
Agora, ler ao sol com um barulho daqueles ultrapassa os limites da boa vizinhaça.
Acho que o meu vizinho de baixo não sabe o que quer dizer boa vizinhança.

Friday, April 23, 2010

Ce pays a-t-il encore un sens?

Para ser franca, acho que este país nunca fez muito sentido...

Sexta, pela graça de Deus

Uma frase, uma mera pergunta, tira-nos quaisquer peneiras que possamos ter quando ao nosso aspecto.
Sim, que essa história de juventude de espírito e bla bla, bla bla, é bonita mas, aparentemente vê-se pouco.
Só assim posso perceber porque é que a filha adolescente de uma amiga me perguntou "Sabe o que é o facebook"?
...
Mas quem não sabe o que é o facebook?

Wednesday, April 21, 2010

Nos eixos

Durante uns dias o céu foi dos pássaros.
E houve mais silêncio.
A experiência foi complicada e, as cinzas aplacadas, houve que começar o regresso à normalidade.
Que, bem vistas as coisas, é uma normalidade muito recente.
Mas sem a qual já não sabemos viver.

Tuesday, April 20, 2010

Cinzas

Tenho um livro preso nas cinzas.
Penso.
Aguardo-o ansiosamente mas suponho que lhe tenham prendido as páginas dentro de forte embrulho para lhe proteger a capa, dirão. Assim manietado, o meu livro depende de asas, outras, porque ele, que as dá, não as tem.
A menos que mentes espertas o tenham mandado sobre rodas, tenho o meu livro preso algures; esperando que a nuvem, essa de que todas falam e poucos vêem, até porque está sol em Bruxelas, se dissipe e, por graça, permita que os céus sejam de novo rasgados por aviões que transportem o meu livro.

Friday, April 16, 2010

Sexta, pela graça de Deus

Irritam-me as pessoas certinhas, cheias de certezas e condescendências.
Gostaria tanto de saber o que pensam, o que verdadeiramente pensam, quando olham ao espelho.

Thursday, April 15, 2010

Novas rotinas

Esta tímida Primavera que aqui se instalou e que, não obstante tímida, levou a chuva para terrenos mais pátrios, permitiu retomar o saudável hábito do passeio pós-jantar.
Uma breve volta ao quarteirão, para desmoer, à luz do dia que já é longo mas a puxar para o crespúsculo que se espraia até à noite.
A cidade, mais caseira a esta hora, oferece-nos calma e contenção.
Uma bela maneira de começar o serão. Que segue, esse, velhas rotinas, entre livros e conversas suaves.

Wednesday, April 14, 2010

Lendo

De vez em quando, quando há arte e engenho, escorrego pelas letras, vou pelas palavras adentro e dou por mim a ter saudades dos tempos lidos.
E a achar que pertenço a cada história.
Fico com pena de não as ter vivido.

Tuesday, April 13, 2010

Detalhes

Picuinhas serei, mas não entendo o que leva um escritor, ou pretendente a tal, a escrever, para descrever um homem, "pança" em vez de "barriga".

Enganador

Olho pela janela e a cor anuncia-me calor.
Porque rima.
Porque nunca acreditei no gélido sol de Inverno e, não obstante ser Primavera, venho gélida cada manhã.

Monday, April 12, 2010

Apeteceu-me

Volto, de mansinho.
Entre a certeza de que não é bom reviver caminhos passados e a necessidade de enfrentar de novo este quadrado branco.
Eu, que me perturbo com o desaparecimento não anunciado de bloggers, digo que aqui tudo continua na mesma, com uma Primavera que se aproxima hesitante, com a diáspora de povos e línguas que nos explicam as lágrimas pelo presidente polaco, com os livros trazidos da Pátria que não substituem o calor do sol mas nos ligam com teias de saudades.
Deixo as grandezas e as aventuras para os sonhos de fim de tarde e agasalho-me nas rotinas e no conhecido; um café matinal e uns dedos de blogoesfera e a semana começa bem.
Apesar do frio.