Wednesday, December 14, 2011

Conversa e coragem

Encontro com amiga que regressou de uns dias em Varsóvia.

Fala das cicatrizes que os polacos não querem que se esqueçam: da perseguição dos judeus, da destruição de uma cidade.

Vemos isso nos nossos amigos polacos, na incessante procura de identidade entre a vítima e o herói, na busca de um lugar entre o ódio aos russos e um mal disfaçado amor-repulsa pelos alemães.

E lembramo-nos de quão recente tudo foi: a guerra, o muro, a mudança, as eleições, a adesão à União Europeia.

Foi um mero passo na conversa o desvio para a eterna questão: o que faria eu se lá estivesse, nesses trágicos dias em que a vida (a de alguns que contudo eram tantos) não valia nada e ainda assim valeu o heroísmo de tantos?

Nunca consigo responder.

Nunca me consigo responder.