Saturday, January 24, 2015

Em tons de branco e sol

Os meus planos derreteram-se no manto branco que me amanheceu.
Deixei, portanto o carro arrumado e percorri a pé as ruas do meu bairro fingindo não ver a lama que a doçura matinal ia criando.
Tinha saudade do silêncio calmo que a neve instala na cidade.
Que, entretanto, acordou.
Retomei a volta habitual dos fins-de-semana.
Dei um pulo ao alfarrabista, a minha biblio-lotaria. Encontrei dois novos livros que já estão ali na pilha a ler.
O sol, tão raro, surgiu. Sei que vai acariciar a neve até a derreter.
Que importa.
Pela janela entram jorros de luz amarela que me iluminam a alma.
Vou ler.