Tuesday, February 03, 2015

Bomba, ou de como nos devemos preparar para tudo


De vez em quando assumo a minha condição de toupeira.
Quando acho que o frio é demais, quando as estrelas se conjugam para que eu me desloque de carro, vou de garagem a garagem e imagino, mais do que sinto, os poucos graus atmosféricos.
Resolvi ser racional: para que preciso eu de casaco nestas condições? E foi só porque "o seguro morreu de velho" que decidi vestir um casaco, leve para a época, mas ainda assim casaco. Prescindi, contudo, das luvas e do gorro.
E paguei! Em calorias presumo, que se consumiram aos montes para me manter numa temperatura aceitável (ainda que eu tivesse achado que estava a pontos de congelar!).
Uma bomba! Melhor dito, uma ameaça de bomba, que daí não passou.
Edifícios evacuados, polícia enervada, ruas barradas, e nós por aí, o que se passa? O que fazemos?
Acabei por me refugiar num café, para ver se aquecia.
Tudo acabou bem.
Hoje tenho um casaco como deve ser. Aprendi a lição.